E-Mail: Password:
A literatura como expressão da identidade nacional. A visão do escritor como mediador cultural na Obra de Mia Couto
Language: PT
This thesis on Tesionline.it »
Contact the author
Author
Giada Mattu, Università degli Studi di Padova, 2016-17
Would you like to translate this thesis/dissertation?
Publish Now!
Documents
All documents can be read in PDF format
Get Adobe Reader


Academic area
Humanities
Abstract
A cena política internacional hodierna, neste nosso mundo “multicultural”, está agora caracterizada pelos conflitos justificados pelas reivindicações de identidade cultural das populações. E sempre mais vezes se fala, em calão internacional, dos direitos dos “povos”. Um dos mais importantes é o princípio de autodeterminação dos povos.
Este é um princípio jurídico que pode ser deduzido da práxis efetiva da generalidade dos Estados e que hoje está a estender seus horizontes: de facto, não concerne somente aos povos submetidos a um governo estrangeiro (como há poucos anos atrás), mas também aos povos que querem afirmar a própria identidade, cultura, religião, os quais, devido a eventos históricos, não têm independência nem autonomia políticas.
Na verdade, a fragilidade do direito internacional está no facto de ele estar ligado às potências ocidentais, que podem decidir, muitas vezes só por causas políticas e não humanitárias, onde, como e quando intervir para que o direito dos povos à liberdade seja respeitado. Estes tornam-se assim, como se pode imaginar, não direitos de todos os povos mas somente de alguns, a critério das potências ocidentais. Se anos atrás era fácil reconhecer os países com verdadeiro direito de autodeterminação nos colonizados ou submetidos a um governo estrangeiro, torna-se agora sempre mais difícil compreender se esse princípio está sendo utilizado de maneira correta: todas as reivindicações para afirmar a identidade da própria comunidade são hoje realmente justificadas, cada uma na sua situação específica?